Voltar

10 dicas para quem vai começar a construir

Ter um imóvel exatamente como sempre sonhou é o que motiva muitas pessoas a construir sua própria residência ou empresa ao invés de investir em edificações já prontas. Na hora de colocar a mão na massa, alguns cuidados precisam ser tomados para que o investimento não triplique de valor durante a obra. Veja as dicas de Atílo Fujioka Watanabe, Diretor Geral de Obras da Construtora e Imobiliária Bambuí para quem está planejando construir:

1 – Garanta a propriedade do terreno. Realizar o registro junto ao cartório competente é o primeiro passo para começar a obra. O “Uso do Solo do lote” e a “Autorização de Construção” devem ser solicitados antes de se pensar na execução do projeto.

2 – Faça orçamentos. “A cotação para definir qual profissional ou escritório de arquitetura realizará o projeto legal ficará mais fácil com alguns documentos e projetos básicos em mãos, como: sondagem, projetos de fundação e estrutura, hídrico-sanitário, elétrico e executivo. A base de comparação será a mesma, e normalmente, durante o orçamento, as empresas já realizam uma compatibilização, o que ajuda muito a avaliar o conhecimento técnico das mesmas”, explica Atílo Fujioka Watanabe.

3 – Certifique-se sobre a idoneidade da empresa que fará o planejamento e execução da obra. Pesquise referências. A busca de certidões federais, estaduais e municipais, além de uma pesquisa mais ampla no judiciário ajudará a identificar eventuais problemas que a empresa pode estar enfrentando.

4 – Visite obras realizadas pela empresa escolhida. Segundo o Diretor Geral de Obras da Construtora e Imobiliária Bambuí, as visitas às obras, se possível, devem ser feitas junto a um arquiteto ou engenheiro, uma vez que esses profissionais têm um olhar mais apurado e conseguem identificar detalhes importantes. “Visitar obras antigas também é importante, pois algumas patologias demoram um pouco para surgir e nesses locais os proprietários poderão falar sobre a postura da empresa frente aos problemas”, ressalta.

5 – Controle a documentação dos profissionais que trabalham na obra, sejam eles próprios (da empresa contratada) ou terceirizados. “Caso a empresa não pague os colaboradores, eles poderão acionar o contratante, o que poderá causar transtornos e prejuízos. Além do mais, a segurança deve estar em primeiro lugar”, afirma.

6 – Com o planejamento feito, monitore os custos e o andamento da obra. Os monitoramentos são importantes para acompanhar o equilíbrio físico-financeiro da obra e podem ser feitos por meio de profissionais independentes ou consultorias especializadas neste tipo de serviço.

7 – Se optar por monitoramento terceirizado, algumas cláusulas são primordiais neste tipo de contrato, como: a contratada é obrigada a assumir em qualquer tempo todo e qualquer tipo de ação que envolva a obra; garantias ao contratante relativas a assistência técnica, e de distrato com multas respectivas para as partes, em caso de não cumprimento de contrato.

8 – Atenção aos sinais de alerta. “Com o cronograma físico-financeiro em mãos, qualquer distorção deve ser encarada como um aviso. Esteja atento a limpeza da obra, organização, horários de funcionamento e volume de funcionários. Convide uma pessoa técnica para vistoriar os serviços realizados vez ou outra”, sugere o Diretor Geral de Obras da Construtora e Imobiliária Bambuí.

9 – A obra foi entregue. Lembre-se que existem garantias legais e obrigatórias para vícios aparentes e ocultos. Segundo Furlanetto, o reforço destas questões no contrato entre as partes e o monitoramento com um profissional adequado durante a execução evitam transtornos após a entrega. “Busque sempre empresas que tenham preocupação com seu nome e reputação no mercado”, alerta.

10 – Por fim, tenha em mente que algumas economias na hora de construir um novo lar saem muito caras. “O investimento é em um projeto de vida, seja para morar ou ter a sede da sua companhia. O valor não deve ser o único fator a ser utilizado na decisão, é preciso tomar os devidos cuidados e buscar por pessoas sérias e que entendam do assunto para evitar frustrações futuras”, reforça.

Fonte: http://www.obra24horas.com.br