COMO ESCOLHER UM ARQUITETO? 7 DICAS FACILITAM O PROCESSO:

Publicado em: 17.02.2020

Vai construir ou reformar? Veja como selecionar o melhor profissional para o seu caso.
A escolha de um profissional de arquitetura costuma levantar inúmeras dúvidas. Afinal, eleger o arquiteto responsável por construir ou reformar uma casa é um processo que exige muito planejamento, confiança e pesquisa para que seu sonho saia do papel do jeito que você sempre quis.
De acordo com levantamento do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) divulgado em 2019, existem 166.194 arquitetos e urbanistas aptos a desempenharem suas funções em todo o país. A maioria dos profissionais está concentrada na região Sudeste, com um terço deles localizados em São Paulo.
Por que contratar um arquiteto?
Para a realização de construções e reformas, a presença de especialistas é fundamental para garantir não apenas a segurança, mas também todo o planejamento e resultado esperado do projeto. Cabe ao arquiteto participar e acompanhar todas as etapas das obras, a fim de assegurar que os processos ocorram de acordo com o projeto inicial. Ao unir técnica, criatividade e funcionalidade, ele equilibra as necessidades do cliente ao orçamento disponível, o que faz da sua contratação um investimento com retorno imediato e a longo prazo.
“A contratação de um arquiteto gera uma economia no custo total da construção. Quando você faz uma obra sem acompanhamento profissional, além de colocar a sua vida e a dos outros em risco, você também deixa seu orçamento ameaçado”, diz José Roberto Geraldine Junior, presidente do CAU/SP. “A autoconstrução leva, entre outros problemas, ao uso inadequado de materiais, que vai desde o desperdício até a escolha de fornecedores que não são confiáveis. No fim, o imóvel não terá o resultado esperado e seu valor de mercado será inferior pela falta de adequação estética e técnica”, alerta.
Encontrar o profissional certo pode parecer difícil se você nunca contratou um arquiteto ou já passou por uma experiência ruim.
Por isso, listamos 7 dicas que facilitam o processo de escolha. Confira:

  1. Defina os seus objetivos e necessidades em relação à obra:
    Um arquiteto pode atuar em diferentes frentes da obra, como análise de terreno, projeto arquitetônico, detalhamento de interiores, projeto luminotécnico, paisagismo, gerenciamento de obra e consultorias. Antes de contratá-lo, você deve ter em mente quais desses serviços irá utilizar.
  2. Estude o orçamento:
    Com as prioridades do projeto definidas, fica mais fácil estabelecer um orçamento de base para a obra. Esse valor servirá de norte ao arquiteto, que avaliará quanto poderá gastar em cada etapa, além dos serviços prioritários. Tenha em mente que os valores cobrados podem variar de acordo com a especialização e experiência de cada profissional.
  3. Pesquise:
    Em tempos de redes sociais, a pesquisa por perfis de arquitetos e escritórios de arquitetura está mais fácil do que nunca. Aproveite as ferramentas digitais para buscar os profissionais que mais dialogam com o seu estilo, mas não se limite a elas. Após listar os nomes possíveis, verifique se ele possui registro ativo e regular no Conselho de Arquitetura e Urbanismo através da plataforma Ache um Arquiteto. “Além disso, é importante conhecer a experiência desse profissional com relação ao serviço pretendido e verificar se ele possui afinidade para ele”, destaca José.
  4. Visite obras realizadas pelo profissional:
    Navegar pelas redes sociais em busca de inspiração é sempre um momento prazeroso, mas ficar só no mundo virtual não basta. Se possível, vá pessoalmente a uma obra realizada pelo profissional pretendido. Estar dentro do ambiente irá lhe proporcionar uma dimensão melhor da qualidade do projeto, principalmente se for contratá-lo para o acompanhamento de obra.
  5. Conheça os fornecedores com quem ele trabalha:
    A origem dos materiais usados na estrutura e no acabamento da construção interfere na qualidade final do projeto. Por isso, é fundamental conhecer os fornecedores com quem o profissional trabalha, mesmo que você não vá se envolver diretamente na contratação deles.
  6. Verifique o custo-benefício:
    Antes de assinar o contrato, avalie detalhadamente o custo-benefício do orçamento entre os possíveis profissionais. Para ter uma noção do que seria um orçamento adequado, é faça uma previsão da área que será construída ou reformada, já que que muitos valores são calculados sobre o total de área trabalhada. Nesse momento, consultar a tabela de honorários oficial do CAU pode ser uma boa solução para balizar os preços. Lembre-se de que é possível pagar os honorários ao final de cada fase do projeto – e que quanto maior a complexidade da obra, maior o número de fases.
  7. Exija a proposta de serviço:
    A proposta de serviço nada mais é do que um documento que detalha todas as etapas do trabalho contratado, a data para entrega de cada etapa e seus respectivos valores. É importante também que na proposta de serviço esteja discriminada a quantidade de visitas que serão realizadas durante a execução da obra.

Fonte: https://casavogue.globo.com/