Voltar

Sempre em alta na decoração: Você sabe o que é o Cobogó?

O cobogó foi inventado há quase 100 anos, em Pernambuco, e continua brilhando em projetos contemporâneos pelo mundo! A ideia surgiu na época do Modernismo (inspirada nos muxarabiês árabes), pela necessidade de conquistar certa privacidade nas construções, mas sem barrar a luz natural e a ventilação, preciosidades do nosso nordeste. Surgiram, então, os elementos vazados.

Nos projetos atuais, a proposta de garantir a entrada de luz e ventilação permanece, mas a necessidade passou a ser outra: garantir amplidão em projetos de medidas enxutas. Por que construir uma parede de alvenaria para separar ambientes, se podemos criar uma divisória bem mais leve, feita com cobogós? Assim, o visual fica mais fluido, mantemos a integração e ganhamos na amplitude e na demarcação de espaços com certa privacidade.

Inicialmente padronizadas, as peças foram ganhando novas versões ao longo do tempo e, hoje, é possível encontrá-las com acabamentos esmaltados, cores modernas, novos desenhos e materiais (cerâmica, concreto, resina, madeira e até mesmo vidro). Assim, elas se encaixam em projetos de diversos estilos e vão bem em qualquer parte da casa – de fachadas a dormitórios.

Confira algumas ideias de projetos valorizados pelo uso do cobogó:

Neste apê todo integrado do escritório Doob Arquitetura, os elementos vazados entram para delimitar o espaço entre o quarto e a sala, mantendo a intensa iluminação natural e a amplitude em uma planta de medidas reduzidas. As peças são de argamassa prensada (modelo 61, da NeoRex, de 39 x 39 cm).

A divisão entre a cozinha-corredor e a área de serviço ficou mais interessante com a meia parede feita de cobogós amarelos. O projeto da arquiteta Marília Zimmermann usa os modelos Hipnose, da Manufatti.

O projeto de base neutra e tons rebaixados, do arquiteto Glaucio Gonçalves, ganhou vida com a divisória moderna de cobogós vermelhos. As peças também são modelos de cerâmica esmaltada Hipnose, de 20 x 20 cm, da Manufatti.

Do hall de entrada deste apartamento era possível avistar a cozinha, o que incomodava os moradores. A solução da arquiteta Ana Yoshida foi erguer uma divisória de elementos vazados, capturando os olhares para as peças esmaltadas branquinhas.

Seguindo a paleta colorida do projeto, a designer de interiores Adriana Fontanabolou uma parede vazada turquesa para isolar a cozinha da sala. As peças são de cerâmica esmaltada na cor Verde Petróleo (ref. 316 C), da Manufatti.

Neste projeto do escritório Sesso & Dalanezi, a ideia foi usar uma divisória de cobogós para demarcar o espaço do home office. Os elementos vazados são de cerâmica esmaltada (Cerâmica del Favero, modelo Pernambuco branco, de 27 x 27 cm) e receberam uma moldura de MDF laqueado de branco.

Os cobogós de concreto também têm vez! No projeto da arquiteta Carla Monza, eles foram usados ao natural, sem acabamento, dando um visual rústico à entrada do apartamento moderno. A peça é vendida em blocos com 16 furos, de 40 x 44 cm, da Lajes São Francisco.

Para destacar a parede da TV, a arquiteta Cristiane Schiavoni usou uma bela divisória de elementos vazados brancos, modelo Margarida, de 30 x 30 cm, da Manufatti. A televisão vai apoiada em um painel instalado sobre os cobogós.

Fonte: Adaptação de texto disposto no portal: https://www.obra24horas.com.br