Voltar

Veja dicas para manter a casa mais fresca durante o verão

Com a proximidade do verão o programa preferido de dez entre dez pessoas é procurar a praias e piscinas para amenizar o calorão. Mas, quando isso não é possível, qual é a alternativa para fugir do calor escaldante? Além do ar-condicionado, que usados em excesso também pode ocasionar problemas de saúde e gastos elevados de energia, outras medidas e mudanças nos ambientes podem ser importantes para garantir temperaturas internas mais amenas.

Em todo o Brasil, por ser um país tropical, o verão é uma estação com termômetros elevados e, inclusive, com recordes. Sendo assim, a população precisa recorrer a alternativas para não deixar que o calor se torne insuportável. Dependendo da região e da intensidade das estações, algumas mudanças nos móveis e acessórios já são suficientes para amenizar a alta temperatura, como retirar tapetes e objetos escuros e com tecidos mais grossos, além de mudar a mobilidade para proporcionar mais espaço e permitir mais circulação do ar também pode ser útil.

Em localidades onde o calor e abafamento são intensos, o melhor a ser feito é controlar a temperatura direto na estrutura física dos ambientes. Nas casas os ambientes podem ficar mais frescos forrando-se o telhado com materiais que esquentam menos, como em PVC ou madeira, e telhas com cores claras. E, tanto em casa, quanto em apartamento, o ideal é optar por pisos frios, como os de cerâmica, e paredes em tons claros.

A escolha de portas e janelas também é fundamental para minimizar o calor. As feitas em PVC, por exemplo, são ótimas opções. Os materiais utilizados, como câmaras múltiplas, borrachas de vedação, ferragens e, principalmente, vidro com alto poder de isolamento (duplo), garantem o controle térmico. “Os vidros reforçados podem poupar até 75% de energia, pois mantêm a temperatura constante dos ambientes. Além disso, os perfis em PVC podem ser úteis tanto para a temperatura em época de calor, quanto durante o frio intenso de inverno”, explica Luiz Felipe Weber Rebellato, diretor da Bellevue, empresa que produz portas e janelas em PVC. Os locais em que são instaladas as portas e janelas também influenciam na entrada do ar e, consequentemente, na temperatura. O mais indicado é colocá-las em sentidos opostos, para que o ar entre cruzado, ventilando todo o ambiente.

Mudanças básicas

Entre as mudanças básicas que ajudam a refrescar a casa estão a troca das cortinas, por exemplo, que devem ter tecidos leves e cores claras. As roupas de camas em algodão e tecidos leves, como os com fibras de bambu, também são mais frescas. Em relação aos tapetes, deve- se optar pelos fios curtos e com fibras naturais. Já para as poltronas e sofás que possuem tecidos grossos e quentes, uma boa opção pode ser cobrir com capas, como as mantas de algodão.

Trocar os tipos de lâmpadas é outra boa alternativa para diminuir o calor. As lâmpadas incandescentes, comumente usadas em residências, esquentam mais do que as em modelo de LEDs ou fluorescentes. Por isso, fazer essa substituição pode ser benéfica.

As plantas também são aliadas do clima ameno, pois suavizam o ar, como as árvores que garantem sombra na casa, ou as plantas naturais espalhadas pelos ambientes. Para quem deseja investir, telhados verdes também controlam o calor. Outra mudança básica é em relação às portas e janelas. Abri-las durante a noite, para deixar entrar o ar mais fresco, e mantê-las fechadas ao longo do dia, para evitar a entrada do ar abafado, proporcionam ambientes menos quentes.

Ar-condicionado e ventilador

Aparelhos de refrigeração também são opções para refrescar a casa. O ar-condicionado central, em modelo Split, e o ventilador de teto, são os melhores equipamentos para amenizar o calor em mais ambientes. Já para direcionar a temperatura em um espaço, podem ser utilizados os condicionadores de ar menores e os ventiladores portáteis.

Fonte: Redação Bonde – Adaptação de texto disposto no portal – https://www.bonde.com.br